Blog

User Rating: 0 / 5

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive
Muito da história da humanidade (e do vinho) foi descoberta após arqueólogos encontrarem a tumba intacta de Tutancâmon

Se você está familiarizado com a história do Egito antigo, certamente sabe que a descoberta, em 1922, da tumba de Tutancâmon, 11º faraó da XVIII Dinastia do Novo Império, abriu diversas portas para os cientistas estudarem inúmeros aspectos da história egípcia, desvendando alguns mistérios e trazendo à tona detalhes da vida na época. Um desses detalhes foi a vitivinicultura dos primórdios da humanidade.Em 4 de novembro de 1922, o arqueólogo britânico Howard Carter encontrou o túmulo desse jovem faraó, que assumiu o trono com 12 anos e reinou por apenas nove, morrendo precocemente – acredita-se, depois de muita pesquisa, que por malária. Essa descoberta foi considerada uma das mais importantes, já que a tumba estava intacta – lembremos que ladrões saquearam os principais sítios arqueológicos egípcios durante séculos a fio para pegar os tesouros dos grandes reis, restando pouquíssimos lugares intocados. Então, mesmo Tutancâmon sendo um rei “modesto”, o que foi encontrado em seu túmulo deu margem para pesquisas que responderam diversas perguntas sobre essa época da humanidade.

Algumas das primeiras coisas encontradas na tumba foram vasos e ânforas, que deram testemunho de como a viticultura já era organizada no Egito. Hieróglifos revelam que terras denominadas “pomares de vinhas” eram cultivadas em Fayum (130 km ao sudeste do Cairo) e também no delta do Nilo. Interessante notar que o faraó possuía seu próprio vinhedo, cuja produção era usada nos ritos dos funerais, já que o vinho, além de estar à mesa, também estava no culto aos deuses, e servia apenas ao soberano e seus convivas.

User Rating: 0 / 5

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive


Mistura entre o desafio técnico da prova e a paisagem deslumbrante são o segredo da Wine Run
As intensas descidas e subidas em meio à beleza natural de vales no Vale dos Vinhedos, Vale Aurora e Rota das Cantinas Históricas conferiram energia para o espírito, ao mesmo tempo que testaram os limites do físico de cada um dos corredores durante os 21 quilômetros da Caixa Wine Run.

A combinação de paisagem deslumbrante, um circuito multiterreno tecnicamente desafiador e, é claro, a imersão na cultura do vinho explicam porque as 1.380 inscrições se esgotaram um mês e meio antes da consagrada corrida do vinho, que aconteceu no final de maio, em meio às celebrações do Dia do Vinho no Brasil.

A Wine Run embaralha os limites entre corrida, vinho e turismo e coloca tudo junto à disposição de corredores que vêm de 19 estados brasileiros e dois países para passar um fim de semana único.

User Rating: 0 / 5

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive
Não se deixe intimidar por uma técnica que é bastante simples: abrir um vinho com um saca-rolhas